Higiene Bucal do Bebê sem dentes: quando devo começar?

A dúvida de quando se deve iniciar a higiene bucal dos bebês é bastante comum entre os pais. Durante algum tempo, a orientação dada era que a higiene bucal do bebê deveria ser realizada a cada mamada ou ao menos uma vez ao dia, na hora do banho, desde os primeiros dias de vida do bebê. O objetivo desta orientação era a criação do hábito e a adaptação do bebê a manipulação da região bucal.

Sabemos que os primeiros meses de vida do bebê são de adaptação, tanto para a família que acabou de receber um novo integrante, quanto para o bebê que agora precisa viver fora daquele ambiente tão confortável que era o útero materno. E quando temos a chegada de um bebê prematuro, essa adaptação é ainda mais cheia de detalhes. Só quem é mãe de um prematuro sabe quantas recomendações são dadas na alta hospitalar, e ter que incluir mais essa função de limpeza da boca do bebê sem dentes, com certeza seria mais uma preocupação para as mamães.

Então, se você estiver em dúvida se deve ou não fazer a limpeza da boca do bebê sem dentes, pode ficar com o coração aliviado. 

A recomendação é: iniciar a higiene bucal por volta de 4 meses de idade, uma vez à noite com lenços, gazes ou fraldas umedecidas em água filtrada, quando possível ou oportuno. Isso porque parece desnecessária a indicação da limpeza da cavidade oral do bebê sem dentes, uma vez que não há literatura científica que suporte essa prática. Segundo a Academia Americana de Odontopediatria, a higienização bucal deve ser realizada pelos pais, a partir do surgimento do primeiro dente, com auxílio de uma escova dental (de tamanho apropriado para a idade da criança), dentifrício fluoretado e fio dental. É importante lembrar que o uso da pasta de dente com flúor deve ser realizada sob orientação de um dentista, de preferência o Odontopediatra. 

Lembramos que a doença cárie é a doença crônica mais prevalente entre crianças menores de 6 anos e a prevenção é o melhor caminho, tanto do ponto de vista biológico quanto financeiro. A Academia Americana de Pediatria (AAP) e a Academia Americana de Odontologia Pediátrica (AAPD) recomendam que a primeira visita da criança ao dentista deva ser durante o primeiro ano de vida, para prevenção e, consequentemente, para diminuir as intervenções e custos futuros.

Referências:

  1. Odontopediatria: estado atual da arte: educação, diagnóstico e intervenção estético-funcional/ coordenação Danilo Duarte, Murilo Feres, Ueide Fernando Fontana. Nova Odessa, SP: Napoleão, 2018.
  2. Odontopediatria na Primeira Infância – uma visão multidisciplinar. Maria Salete Nahás Pires Corrêa. São Paulo: Quintessence Editora, 2017.

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

Deixe uma resposta