Mães perfeitas não existem por Nanna Pretto

Olá seguidores, comecei o ano bem reflexiva sobre alguns sentimentos que rodeiam o mundo da maternidade.

Tenho a real sensação de que nós mães nos cobramos demais. Os nossos atos maternos, frequentemente, sofrem auto criticas ‘pesadas’, não é mesmo? E as vezes temos até uma ‘certa’ ‘vergonha’ em compartilhar com as outras mães o que fazemos no dia a dia real.

Simmm… deixamos comer besteira ao invés de legumes e verduras, comer doce muito antes dos 5 anos de idade (era a minha intenção como a mãe idealizada dos meus sonhos infantis), ir para a cama sem tomar banho e sem escovar dentes, entre  outras ações bem reais no dia a dia com as crianças.

E o que falar sobre a preocupação ‘neurótica’ e ‘diária’ se o seu filho está se desenvolvendo bem? E acho que as mães de crianças de risco/prematuras extremas ainda sofrem ainda mais com essa neura.

Enfim… o post da Nanna Pretto, uma das embaixadoras do brincar e colunista da Pais e Filhos, relata essa dicotomia entre a ‘mãe real’ e a ‘mãe idealizada’ de maneira bem simples e clara.

Espero que gostem. Segue o link abaixo e mais uma foto entre Tete e Maitê Maria.

PS: Tenho muito orgulho em compartilhar as nossas fotos com os seguidores desse espaço. Afinal de contas esse blog só surgiu diante do nascimento e de toda a história de Maitê Maria.

http://bit.ly/1zU73sU

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

Deixe uma resposta