Minha história, como mãe de prematuro. Feliz dia das mães!

O desejo de ser mãe sempre esteve em meu coração. Aquela programação:
concluir a faculdade, ter um grande amor (um companheiro e um bom pai para o seu filho), se casar, ter sua casa, um emprego legal e engravidar! E assim foi. Fui chamada para assumir um concurso público, compramos um apartamento e nos mudamos! Em 1 mês a surpresa! Bebê a caminho! Primeiro neto dos meus pais e um bebê depois de muito tempo na família do meu marido!
No trabalho, eu sempre tentando deixar tudo encaminhado para um novo projeto “quando eu voltar da licença”. Em meio a tudo isso, um vírus novo circulando em nosso país! O zika vírus aterrorizava todas as gestantes da época! E eu trabalhava em área de risco, em uma unidade de saúde! Como eu vivia? O tempo todo procurando algum mosquito! Tentando ter controle sobre a minha vida! Só usava calça e camisa manga longa e o repelente era meu novo perfume! Até que, com 29 semanas gestacionais comecei a ter sintomas de Pré-eclampsia.



Chá de bebê marcado para a próxima semana (13/02/2016). Precisei ser
internada, com 30s de gestação, pressão 18×11. Muitos anjos cuidaram de mim, mas no dia 12/02/2016 (véspera do dia programado para o chá de bebê), a cesárea precisou ser feita! Com 1,400Kg e 37cm! Assim, nascia uma mãe de prematuro, que até então não sabia muito sobre isso! Nunca pensei que teria um filho prematuro!
E eu, ao invés de melhorar depois do parto, acabei piorando! Vi meu pequeno guerreiro 2 dias após o parto. Não me recordo muito de detalhes dessa primeira visita, porque eu estava muito mal! Tão mal, que no domingo a noite fui levada para UTI, onde fiquei 5 dias para que minha pressão fosse controlada. A primeira imagem que tenho de recordação dele em minhas lembranças é a foto que meu marido tirou dele entubado na UTI!
Ele era o bebê mais lindo que já tinha visto! Não imaginava que aquele bebê lindo tinha apenas 30s de gestação! Lembram do “grande amor para ser um bom pai para o meu filho”? Eu tive ainda mais certeza de que havia realmente conquistado!
Ele foi muito forte e conseguiu se dividir entre as visitas de UTI NEO e adulto.

Gravou vídeo da minha voz e colocou na incubadora para nosso pequeno me ouvir. Eu tirei leite, que era desprezado por conta da medicação, mas mantive a estimulação para produção se manter quando meu filho pudesse receber meu leite. Sabe aquele colinho de mãe? Ele ganhou pela primeira vez no dia 21/02, dia do aniversario da minha mãe! Peguei meu filho pela primeira vez aos 9 dias de vida! Mas sempre encarava cada conquista, sem nem me lembrar de como “deveria” ser. E a cada dia uma Vitória! 17 dias de UTI e mais 17 na UCI. A tão sonhada alta com 1,865kg! A nova fase se iniciou! Cheia de desafios, de consultas, encaminhamentos, exames, medicações. Muito diferente de um bebê a termo! Grandes profissionais, instrumentos de Deus fizeram parte da nossa história! Benicio Gabriel, hoje tem 4 anos e é nossa alegria! Nossa história é Deus quem escreve! Nós apenas podemos confiar, porque a mãe de um prematuro entende muito bem o sentido de que filhos são presentes de Deus!
Feliz dia das mães, mamães de prematuros!

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

Deixe uma resposta