O adoecimento de nossas crianças: a tragédia desse século

As experiências significativas e afetivas típicas da infância estão dando lugar a vivências marcadas pelo imediatismo, uso exagerado da tecnologia, encontros não presenciais e brincadeiras sempre estruturadas.

As crianças, ao invés, de terem contato direto com os elementos da natureza, brincarem livremente, se divertirem horas com objetos não estruturados- como uma caixa de papelão-, jogarem bola com os amigos, exercitarem a consciência e as habilidades corporais e sociais por meio dos esportes, gastarem tempo com a família… estão em contato direto com os seus equipamentos tecnológicos, telas de tablets, celulares novos e videogames.

O encontro presencial com os amigos está se tornando um momento de tédio. O encontro com as emoções do outro está se tornando uma experiência penosa. As frustrações diárias estão causando alarmantes índices de doenças mentais, tais como o transtorno de ansiedade e a depressão. Os abraços calorosos e duradouros entre pais e filhos estão sendo trocados por presentes. Os jantares demorados com toda a família reunida estão cada vez mais escassos. As casas bagunçadas e cheias de brinquedos no chão, como na minha época de infância, estão sempre sendo limpas e organizadas por um adulto. A responsabilização das tarefas diárias em um lar está cada vez mais escassa na rotina de nossas crianças. Os pais cada vez mais se sentem mais julgados, culpados e angustiados e com isso não conseguem ressignificar as próprias dores que o exercício da parentalidade traz para cada um de nós.

Nossa sociedade está doente. Pais e crianças estão adoecendo.

Convido a todo a verem esse vídeo que viralizou na internet, exatamente porque reflete o adoecimento que a sociedade, famílias, pais e crianças estão experienciando nesse século XXI.

Um grande abraço, equipe de prematuros.com.br

https://youtu.be/5kVgznjojmo

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário